sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Agora, os 4 meses!!

Quando nos diziam que "os primeiros 3 meses são terríveis, mas que depois melhora", não entendia bem como a coisa podia funcionar dessa forma... Mas, é verdade.

Ainda continuo sem entender, mas que realmente depois dos 3 meses parece que o organismo começa a assimilar melhor as mudanças... Ou será porque após os 3 meses as coisas começam a querer entrar no que podemos chamar de rotina... Ou será que porque após 3 meses o "cordão umbilical" parece ter sido cortado... Não sei, só sei que melhora.

Esse mês, tivemos algumas novidades, entre elas podemos citar a compra da nossa "voiture"; o fato de que agora eu também estou com meu "permis de conduire"; a chegada do frio, mesmo que ainda estejamos no outono; a neve com maior frequência e proximidade do Natal.

- Compra do carro:
Quando estávamos no Brasil, eu sempre dizia que não seria necessário termos um carro no Canadá, que o sistema de transporte público funciona, etc.
O maridão discordava. Desde lá, ele dizia que seria necessário comprarmos um carro, mais cedo ou mais tarde.
Conseguimos ficar quase 4 meses sem carro, mas temos que reconhecer que a vida gira muito mais fácil com o mesmo. Tudo que você levaria um dia pra fazer com o transporte público, você faz muito mais rápido
A garderie do nosso pequeno não fica tão perto de casa e tínhamos que pegar 2 ônibus para levá-lo até lá.
Nós somos 4, então fazer feira para casa não era uma tarefa muito confortável, pois sempre vínhamos com muitos pacotes.
Com o clima baixando, estava realmente ficando mais difícil nos deslocarmos com ele. Não que não fosse possível, mas era um conforto que estava fazendo falta.
Sem contar que (os defensores fervorosos do Canadá que me desculpem), tivemos 2 vezes a parada queimada. Antes que alguém diga: "ahhh, mas isso não acontece no Canadá, ou se acontece, só em lugares distantes do centro", pois aconteceu com a gente sim e não em ônibus distantes do centro!!
A primeira vez foi com o ônibus 24, na Rue Sherbrooke, em frente à garderie do nosso pequeno, em pleno meio-dia; a segunda vez aconteceu com o ônibus 420, em plena Boulevard Maisonneuve, ou seja, ônibus no centro e em horários de movimentos.
Por isso, aproveitamos que carros não são tão caros aqui e compramos um, que possa nos servir nesse momento.

- Permis de Conduire:
Como havia dito no post anterior, o maridão já estava com o permis de conduire desde o final de outubro. E estava me pressionando para tirar o meu... E eu meio nervosa pra isso.
Havia MUITOS anos que dirigia no Brasil, mas sabia que aqui as coisas são diferentes e ele exigem certas coisas que não estamos acostumados a fazer, como por exemplo, verificar EXAUSTIVAMENTE o danado do ângulo morto. E quanto mais tempo se dirige, mais tempo de "vícios". Já havia escutado muitas histórias de pessoas que tiveram que fazer os testes mais de 2 vezes e tinha receio que isso acontecesse comigo.
Graças a Deus, não foi assim!!:-)
No dia 18 de novembro, dia do aniversário do maridão, lá fomos nós, para que eu fizesse o teste teórico. Teste teórico, ok!!
Faltava agora o teste prático... No próprio SAAQ, antes de sairmos, já deixei marcado o teste para 1º de dezembro... Com receio que estivesse nevando neste dia, mas, melhor agora do que mais pra frente.
No dia 1º de dezembro, lá fomos nós denovo.
Peguei uma "figura" super chata para me avaliar, que pegou no meu pé o trajeto inteiro, inclusive dizendo que eu não tinha feito coisas que eu tinha ou vice-versa. No final, ainda veio conversar sobre os pontos que ele achava que eu devia melhorar, mas que eu tinha passado.
Não sabia se matava a figura ou se agradecia!
De qualquer forma, menos uma coisa pendente e mais um documento resolvido. Agora, estamos os dois habilitados.

-O Frio e a Neve:
Depois do "verão indiano", tivemos temperaturas cada dia mais baixas.
Na final de novembro, fomos à Sainte Catherine assistir aos desfile du Père Noël. Estava muito frio.
Os meninos aguentaram, mas reclamaram. Ao final, acabamos entrando no Museu Contemporâneo, para dar uma aquecidinha com nossos amigos Miche, Jamerson e Júlia.
Neste mesmo dia estivemos no nosso primeiro casamento no Canadá: nossos amigos Ana Rosa e Eriton se uniram oficialmente em terras canadenses e a comemoração foi no agrabilíssimo Caipirisima, com direito à coxinha e brigadeiro.

A neve também andou dando o ar de sua graças, caindo em um quantidade mais expressiva, para alegria dos mais ansiosos.
Aliás, no dia seguinte à compra do carro estava previsto uma nevezinha por aqui. Não me contive e fiquei perturbando o maridão, que iria ter que tirar neve de cima do carro no dia seguinte. Detalhe: naquele dia ele ainda não tinha a pá, nem a escovinha, nem nada, ia ser "na tora" mesmo. Sorte dele que a previsão errou...kkkk

Hoje é aniversário do nosso caçula. Estamos preparando umas "comemoraçõezinhas" para ele. Hoje já fomos almoçar na Romados, um tipo padaria portuguesa que fica na Rua Rachel e que tem uma galinha assada que ele adora.
Aliás, quanto a filhos, estamos bem na "fita". O pequeno está cada dia mais colocando palavras de francês do no seu vocabulário, ainda que esteja em plena fase de adaptação à garderie.
E o primogênito recebeu uma honra ao mérito da escola, pelo seu empenho em ajudar aos colegas que chegam ou que têm dificuldades em francês. Sem contar que na reunião com o professor, na semana passada, este só faltou não acreditar que o nosso príncipe só estuda francês há 3 meses!! Disse que ele vai muito bem, obrigada e que ele é uma criança muito inteligente, muito interessada e que se destaca na sala. Preciso dizer como ficamos bobos??:-D

Voltando ao assunto de restaurantes com comidas gostosas, já que falamos do Caipirisima e do Romados, há umas 3 semanas estivemos no Lelé da Cuca, um restaurante brasileiro, que tem alguns pratos que gostamos muito, tipo feijoada, bobó, etc. Comemos um saboroso acarajé, acompanhado de um delicioso suco de cajá...:-)
Será que é por isso que o organismo está se sentindo mais em casa??

Bem, acho que por enquanto é só!

Continuamos na luta, correndo atrás, enquanto não chega o recesso de final de ano, onde praticamente tudo pára a partir do dia 19/12.

E assim que tivermos mais novidades, postamos aqui!!

Em tempo: PARABÉNS A TODOS QUE TIVERAM CONQUISTADOS SEUS CSQs!!
Temos alguns amigos que alcançaram essa vitória e é muito bom saber que tem mais gente vindo pra cá, ainda mais quando são pessoas queridas!
E parabéns também a todos que estão com seus processo concluídos!! Lembrem-se, isso é apenas o começo!!

Abraços a todos e à bientôt!!

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Novembro: 3 meses em terras canadenses.

Salut mes amis!

Já entramos no mês de novembro e no dia 01/11 completamos 3 meses de Canadá.
Sinceramente, as coisas não estão andando tão rápidas como eu gostaria. Mas, muita gente nos diz:"ahhh, mas vocês só estão aqui há 3 meses"... Então, vamos ver se as coisas andam mais rápidas com o tempo.
Quem me conhece, sabe que sou MUITO, mas MUITO mesmo agoniada, imediatista e gosto de ver resultados. Mas, quem sabe depois disso eu aprendo a ser mais serena e paciente?:-D

Antes de entrar nas novidades, queria tecer um comentário sobre as listas de discussões.

Quando começamos o nosso preparo para o processo de imigração, passamos a frequentar algumas listas de discussões e acredito que tivemos muita ajuda das mesmas.
Existem pessoas realmente interessadas em passar os pontos OBJETIVOS do processo de imigração e que estão dispostas a passar informações valiosas a quem estiver interessado.
Entretanto, de uns tempos para cá, temos percebido que algumas pessoas, muitas vezes deslumbradas, querem levar ao pé da letra o nome "lista de discussão" e geram verdadeiras brigas entre os seus membros.
Se alguém tem uma opinião sobre determinado ponto e outro discorda, pronto: já está criado o problema, que por vezes chega a verdadeira briga.
Por esse motivo venho evitando enviar mensagens para as listas das quais participamos, inclusive para a que criamos, pois percebemos que, se tivermos uma opinião diferente da de alguns membros, eles vão "cair de pau". E sinceramente, em plena fase de adaptação, o que menos precisamos é ficar de discussão que não vai levar a lugar nenhum!!
Aliás, ADAPTAÇÃO tem sido um ponto muito discutido nessas listas. Como se adaptação fosse uma coisa objetiva, que se pode julgar por um caso ou pelo outro. O que é bom para um pode não ser necessariamente bom para outro!! É um aspecto totalmente subjetivo, que varia de pessoa para pessoa.
Nós mesmos somos 4 pessoas, e duas dessas pessoas têm apenas 8 e 4 anos de idade. Mesmo assim, aqui temos visões diferentes, mesmo estando na mesma casa e tendo o mesmo objetivo. Cada um tem sua experiência e o seu sentimento em relação à imigração e, daqui a algum tempo veremos se vale à pena continuar ou não. Lógico lembrando sempre que tudo tem seu tempo e, de qualquer forma, terá valido à pena.

Outro item que vimos ser bem discutido é o ponto do francês deixar de ser cobrado para os imigrantes.
No MEU ponto de vista, um absurdo! Se pessoas que chegam aqui com certo nível de francês têm dificuldades, imagine chegando sem nenhum conhecimento do mesmo!!
Agora, nas listas de discussões vimos pessoas dizendo que não se sobrevive sem francês, em Montreal...
Se eu quisesse entrar em uma dscussão, essa seria uma boa hora...:-)
Estamos em Montreal há 3 meses e nas últimas semanas, por exemplo, temos visto e ouvido FREQUENTEMENTE pessoas perguntarem se falamos inglês, porque eles não falam nada de francês.
Na semana passada, fomos no Cavendish Mall, assistir Madagascar 2 com os meninos.
Nesse shopping tem um Dollarama, loja querida entre 9 de 10 brasileiros que conhecemos (inclusive NÓS). Lá, as funcionárias só falam inglês.
Sabado agora meu esposo perdeu o celular. Depois de muito aperreio e procura, alguém passou a atender quando ligávamos, para saber onde poderíamos ir pegá-lo. A pessoa do outro lado só falava inglês. E fomos buscar numa loja de flores, que fica na Rue Sherbrooke. A dona da loja pediu desculpas, mas só falava inglês.
Aí podem dizer que moramos no lado inglês de Montreal... É verdade... Mas, aqui também se fala francês.
Então, se conselho fosse bom não se dava e já tocamos nesse assunto... Mas, se alguém quiser sobreviver em Montreal, pode fazê-lo sabendo francês ou inglês. Agora, se quiser viver bem, tem que saber os dois!!!!

Deixando a parte polêmica de lado, vamos às novidades.

-CPE

Nosso pequeno começou fnalmente num CPE há quase 15 dias atrás. Está em fase de adaptação e aos pouquinhos já começa a "ensaiar" palavras em francês.
Esse detalhe do CPE é interessante se falar, porque, como nos havia informado a Pri, além daquela lista do Enfance Famille (cujo tempo de espera dizem que pode chegar a 2 anos), alguns CPEs têm sua própria lista de espera. E isso é algo que não é tão divulgado.
Muitos esperam contar com o MICC, como já ouvi de um colega de imigração. Ao reclamar do problema de vagas, ele comentou que o MICC tinha que dar um jeito. Não se iludam!! Recorremos ao MICC e nada pode ser feito. Inclusive foi um agente brasileiro que, ao que parece, tentou nos ajudar, mas depois de alguns dias disse que nada poderia fazer, que ele não tinha como achar vagas nem como mudar a política da CSDM (comissão escolar).
Pouco antes de sermos alertados pela Pri, recebemos um telefonema de um CPE, que o maridão tinha deixado o nome do pequeno logo quando chegamos. O engraçado é que ele deixou sem ter noção que esse nome iria para a lista de espera "particular" do CPE.
Deus deu um empurrãozinho e finalmente nosso pequeno foi chamado, com apenas 3 meses que estamos aqui e levando em conta que a idade dele não é tão fácil de encontrar vaga.
O CPE não é tão perto de casa, mas estou adorando. Lá ele tem conteúdo pedagógico, está com mais 8 crianças da mesma idade dele (das quais 2 falam português, pois são filhas de brasileiras com canadenses) e com isso já está fazendo a sua integração, apesar de ainda estar em fase de adaptação.
Às mamães e papais de plantão, fica o aviso dessa lista dos CPEs. Assim que chegarem por aqui, inscrevam seus filhos na lista do enfance famille, mas não deixem de fazer uma listagem com todos os CPEs e garderies perto da sua residência e corram lá para inscrevê-los em cada um desses lugares (os que tiverem essa listagem "particular"). Assim poderão estar poupando tempo e conseguirão uma vaga para seu filho muito antes do que a tão famosa lista de espera.

Se imigrar não é fácil, e vemos alguns solteiros e casados sem filhos reclamando, imigrar com filhos é AINDA mais difícil.
Mas, achamos que até mesmo a experiência vale a pena.


- HABILITAÇÂO:

Estávamos com teste teórico marcado e eu não pude fazer pois minha tradução da habilitação brasileira não tinha ficado pronta.
O maridão fez e conseguiu se sair bem no primeiro teste que fez, apesar de não ter estudado tanto assim.
Ele estava preocupado em não poder mais alugar carro no final de semana, pois nossa habilitação vencia exatamente no final de semana, 1 de novembro.
O teste teórico dele foi em 28 de outubro, uma 3ª feira. Disse que é chatinho, mas passou.
Na 4ª feira à tarde ele ligou para tentar marcar o teste prático. Por incrível que pareça, conseguiu para o dia seguinte, 5ª feira dia 30 de outubro, aqui mesmo em Montreal.
Eu comentei que o "universo conspirou a favor", já que ele queria tanto tirar essa habilitação.
Ele disse que não, que era porque já havia passado o verão e agora existem mais vagas...
De qualquer forma, ele conseguiu fazer o teste logo e foi aprovado. E como ele já tem mais de 10 anos de habilitação no Brasil, esse tempo foi contado (com a tradução) e ele já está devidamente capacitado. E agora já temos novamente um motorista na família.

Agora só falta eu, que tenho 18 anos de carteira no Brasil (não vale ficar calculando a minha idade, viu?), mas que estou com um receio desses testes...:-S
Mas, também é tão bom ficar um pouquinho só como co-pilota...:-D

- HALLOWEEN

No dia 31 de outubro, experimentamos nosso primeiro Halloween no Canadá.
Nossos amigos Micheline e Jamerson nos pegaram e fomos para Westmount, um bairro inglês onde as pessoas realmente investem na produção das casas: gelo seco, decorações as mais diversas, com efeitos sonoros, visuais, etc.
Os meninos estavam fantasiados (não, nós não estávamos, só as crianças) e saíram de casa em casa, com Júlia, repetindo "Trick or treat". Arrecadaram 218 bombons que ainda estão rendendo (e a mãe preocupada por causa dos dentes) e adoraram a noite, que graças a Deus, não estava muito fria e deu para curtir um bocado.
Só ainda não consegui descobrir como se diz "Trick or treat" em francês!!

- FRANCISAÇÃO

No dia 04/11, teríamos começado a nossa francisação. Digo teríamos, porque eu não pude começar, pois no prazo para dar a resposta, ainda não tinha surgido vaga em garderies para o nosso pequeno.
Fomos pedir que o meu prazo para a resposta fosse o mesmo do maridão, que era uma semana após a minha, já que íamos fazer curso no mesmo lugar.
Mas, a resposta do MICC foi não!
Então, a minha também teve que ser não!

Engraçado é que naquela mesma semana recebemos a ligação do CPE... Mas, as coisas acontecem como Deus acha que deve ser.

O maridão continua na busca de emprego e não está fácil. Assim como Vanessa e Murilo, percebemos que as ofertas e os telefonemas diminuíram (de quando chegamos aqui para cá). Acreditamos que a crise dos EUA (mundial) possa ter interferido no mercado, sim.
Mas, continuamos tentando e enquanto isso, vamos fazendo o que está ao nosso alcance.

Bem, acho que por enquanto é só!!

Assim que tivermos mais novidades, postamos por aqui.

Abraços a todos e à bientôt!!

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Quase 3 semanas... muitos acontecimentos.

Pessoal,

Estamos há quase 3 semanas sem postar e isso nos rendeu muitas coisas a atualizarmos.
Então, vamos tentar resumir, senão vai ficar um post imeeeenso.:-)

Há exato 2 finais de semanas, no feriado de Nossa Senhora Aparecida/Dia das Crianças, no Brasil, e feriadão de Ação de Graças, no Canadá, recebemos nossas primeiras visitas: nossos amigos Cláudio, Elaine e Natália vieram de Toronto para passar o feriadão conosco.
Aproveitamos para passear, matar a saudade e levá-los à Missa em homenagem à Nossa Senhora Aparecida, na Igreja portuguesa de Santa Cruz, onde depois tivemos uma feijoada.
A missa foi linda. E ainda com direito à distribuição de pirulitos para as crianças presentes.

















Nossos amigos retornaram a Toronto na 2ª feira pela manhã e à noite participamos de um ótimo jantar de Ação de Graças, contando com a presença de inúmeros recifenses que por aqui se encontram. Esse jantar foi no reduto recifense em Montreal, ou seja, a Pizzaria Volkan.


































Nofinal de semana passado, aproveitando que a carteira de habilitação ainda está válida em solo canadense, alugamos um carro de fomos dar umas voltas.
Descobrimos um lugar para fazer compras m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o, que eu batizei de "a sulanca canadense". É um lugar com vários stands, tipo a sulanca mesmo, onde se pode comprar de tudo, desde roupas de frio (obaaaa) até souvenirs, brinquedos, etc.

No domingo, aproveitamos que estávamos com uma grand caravan e chamamos nossos amigos Marcus, Juliana e Júlia para irem conosco e mais outro casal de amigos à Mont Trembland.
Acontece que no meio do caminho surgiu a idéia de irmos a um Verger de Pomme, m programa tipicamente quebecois.
Na saída de Montreal, pegamos um imenso engarrafamento, o que nos fez atrasar em 2 horas o nosso passeio.
As crianças adoraram colher maçãs e brincar nas folhas caídas. Aliás, não só as crianças, os adultos também se divertiram bastante, com direito até a subir em árvore pra catar maçãs mais altas.
Quando saímos, já era meio tarde para irmos a Tremblant.
Então, desviamos o caminho e seguimos para Mont Saint Bruno, uma estação de esqui que fica bem próxima à Montreal.
Andamos de teleférico, vimos as pistas de esqui, curtimos a paisagem, foi muito legal também.

Essa semana tivemos o "prazer" de sentir a primeira neve.
Pois é, j´nevou em Montreal. Os quebecois não consideram neve de verdade, porque é aquela que não acumula e vem misturada com a chuva. Mas para nós, brasileiros, nordestinos, é neve sim!!:-)

Na verdade, é inevitável o "medo" de como será a vida com neve, ainda mais com os pequenos.
Como ela já deu o ar de sua graça em pleno mês de outubro, não dá pra negar que bate um certo receio de que a coisa venha pior do que nos outros anos, como já andaram comentando.
Mas, vamos viver um dia de cada vez e ver como vamos reagindo a todas as mudanças, inclusive climáticas.

Bem, mais um final de semana chegando e, como decidimos curtir enquanto ainda é "fácil" sair, vamos ver o que fazemos.

Prometo que vamos postar, se tivermos mais uma seção "turistando".:-)

Ahhhh, antes que esqueça: por motivos superiores vamos deixar o blog aberto a todos por enquanto.

O problema é que o site só permite que cadastre 100 leitores. E, graças a Deus, já ultrapassamos essa marca de pedidos.
Então, para não deixar algumas pessoas que solicitaram continuar tendo acesso, decidimos deixar aberto a todos...
Ao menos por enquanto...:-D


Abraços a todos e à bientôt!!

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Turistando um pouquinho.

Nem só de ralação vive o imigrante!!
Entre uma tarefa e outra, quando chegam os finais de semana e enquanto o frio de verdade ainda não chegou, temos aproveitado para fazer alguns programas interessantes.
Por enquanto só tínhamos circulado dentro da cidade de Montreal, como Mont Royal, os diversos parques da cidade, etc. Mas, depois de curtirmos um delicioso jantar na 6ª feira e do niver de Angélica com a turma brasileira, esse final de semana aproveitamos também o convite de um casal amigo e fomos dar uma esticadinha pela cidade de Québec.

Linda!
Simplesmente bela é o que podemos dizer da capital da Província!!
No trajeto, fomos aproveitando a linda paisagem de outono, com as folhagens com nuances de vermelho, laranja, amarelo e verde.
Ao chegarmos lá, curtimos alguns dos pontos turísticos inevitáveis, apesar do "friozinho" de aproximadamente 3ºC. (Acho até que estava em 0ºC quando estávamos na "beira" do rio).

Uma boa dica é procurar nas locadoras de veículos quais as promoções que estão fazendo e quem sabe poder locar um veículo a um bom preço pelo final de semana, como nós fizemos.

Bem, vamos a algumas fotos!!











































































Em tempo: todos aqueles que enviaram mensagens (desde que tenham enviado seus e-mails também) já foram adicionados à lista do leitores do blog, ok?
E prometo que assim que tiver um tempo maior, respondo às perguntas que alguns fizeram.

Abraços a todos e à bientôt!!










quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Privacidade!

Pessoal,

É uma decisão difícil de se tomar, mas acabamos concordando que, a partir da semana que vem, vamos deixar o blog aberto apenas a leitores "convidados".
O intuito desse blog é informar sobre o processo de imigração e sobre a adaptação como um todo, sem esquecermos que também "serve" para atualizarmos nossos amigos e parentes sobre o nosso cotidiano no Québec.
Entretanto, por uma questão de privacidade e para evitar que sirva como meio de "bisbilhotagem" à pessoas que não são amigas ou que não tem o mesmo objetivo (imigração), tomamos essa decisão.
Quem desejar continuar acessando aos nossos relatos, vibrando com nossas vitórias e compartilhando dos nossos aperreios, pode enviar e-mail, que teremos o maior prazer em adicionar ao grupo de leitores, ok?

Abraços a todos e à bientôt!!

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

As Verdades de Cada Um.

Quando começamos o processo de imigração, uma coisa que fazia parte era tentar nos informarmos da melhor forma possível.
Acessar toda informação oficial disponível, trocar informações, conversar com amigos, ler blogs para tentar aprender com a experiência de outros imigrantes, tudo isso fazia parte de nossa preparação.
Muitas pessoas tendem a relatar experiências positivas. Poucos relatam as suas experiências negativas, decepções, ao menos não era o que mais encontrávamos.

Relatar vitórias, sucessos realmente é bem mais fácil.
Não é muito agradável verificar que existem pontos negativos no que traçamos como sonho e percebemos que muitas pessoas não gostam quando alguém ressalta esses pontos. Entretanto, acredito que cada vez que alguém expõe alguma coisa negativa pela qual passou ou está passando, alerta aos demais para a possibilidade de que isso venha a acontecer... E assim podemos ficar melhor preparados.

Como dizem nossos amigos Fábio e Soraia, isso aqui é uma opinião pessoal, que reflete uma experiência que é nossa. Temos alguns conhecidos que passaram pela mesma experiência e por não ter lido nada em nenhum lugar antes de viajarmos, resolvemos relatar. Quem sabe vai ajudar alguém!!

O Problema das Garderies

Antes de imigrarmos, sempre ouvimos falar do problema das vagas em garderies.
Entretanto, possivelmente desinformada a esse respeito, ou sonhadora, achava que isso acabaria não nos afetando, afinal de contas o MICC informa que crianças são prioridades, que as crianças a partir de 4 anos podem entrar na escola, etc.

Quem imigra com crianças acima de 6 anos, não tem que se preocupar com vaga: a vaga deles é assegurada pela Comissão Escolar e eles entram na classe d'accueil, numa turma com crianças na mesma faixa etária. Essa classe d'accueil (apenas com imigrantes) onde eles têm francês, matemática, educação física, artes, música, pode durar até 20 meses. Após esse período, se a crianças continua com dificuldades, passa para o que eles chamam de classe especial, pelo que nos foi dito pela professora do nosso filho. E a saída da criança para a "classe regulier" (onde passa a estudar as demais matérias da sua classe normal(geografia, história, inglês, etc), no caso do nosso filho, 2ª série/3º ano do ensino fundamental, está diretamente ligada ao aproveitamento no aprendizado do francês.

Com as crianças de menos de 6 anos, a coisa não é tão fácil. Existe o pré-escolar, que em alguns bairros aceita crianças a partir de 4 anos, mas que na grande maioria aceita apenas a partir de 5 anos.
Nosso filho completa 5 anos em dezembro. Quando estivemos na comissão escolar, tentamos inscrevê-lo para o pre-maternelle (pré-escolar), mas nos informaram que apenas no bairro e o nosso bairro só aceita a partir de 5 anos. Argumentamos que no bairro vizinho aceita a partir de 4 anos, mas nos disseram que só pode ser no nosso bairro.
Então, argumentamos que ele completa 5 anos em dezembro, mas foi aí que nos veio a informação que para ser aceita, a criança tem que completar 5 anos até outubro, senão fica para o ano seguinte.
Então fomos orientados a voltar no próximo ano, em junho de 2009, para fazer a inscrição dele.

Com isso será um ano fora da escola...:-(

Sem outra opção, seguimos à caça das garderies!!

Colocamos nosso filho na lista de espera do site enfancefamile.org; consultamos o site Ma Garderie; enviamos e-mails e ligamos para uma infinidade de CPEs e garderies, suja lista pegamos no centro responsável pelas garderies públicas.
O que acontece é o seguinte: Ainda que o subsídio do governo seja para crianças de 0 a 5 anos, (onde pagaríamos CAD$ 7,00/dia) e embora seja uma prática condenada, eles fazem uma discriminação com crianças "mais velhas", por entenderem que entrarão na escola no próximo ano e com isso não criariam vínculo.
Fomos aconselhados a procurar garderie em meio familiar, mas as que visitamos não nos empolgaram: são poucas crianças e a maioria até 3 anos. Como colocar uma criança de 5 anos pra "estudar" (porque é isso que você vai dizer) com crianças bem mais novas, quando essa criança já vinha acostumada a estudar com amiguinhos da mesma idade?

As vagas que surgem, ainda que sejam muito poucas, são em garderies privadas, cuja faixa de preço varia de CAD$ 35,00 a CAD$ 45,00. Sabemos que existem as de CAD$ 20,00, mas na prática não encontramos vagas em nenhum dessas.

No nosso teste para a francisação, ao questionar como eu deveria fazer se não encontrasse um lugar para colocar o meu filho mais novo, a resposta foi que eles não podem fazer nada, que se assim fosse, eu deveria ligar e solicitar minha recolocação na próxima turma... Ou seja, o MICC não assume esse problema, não orienta, nada.

Estou comentando isso porque já ouvi algumas pessoas dizerem que o MICC tem que resolver esse problema, que a gente vem de fora e que eles dizem que eles nos dão total apoio.
Com relação à vaga para nossos filhos pequenos, não é bem assim.
Conversando com alguns casais que já estão aqui há mais de um ano, vimos que eles passaram pelo mesmo problema. E a solução que acharam foi colocar os filhos em garderies privadas, pagando uma média de CAD$ 700,00/mês, até conseguirem vaga nas públicas, o que pode levar até mais de um ano. Segundo nos disseram no Centre Saint Michel, a fila de espera é de aproximadamente 2 anos, pois existem 20.000 pessoas na lista...:-(

Ainda não resolvemos o que faremos, até porque ainda não encontramos um lugar que nos agradasse para colocá-lo.
Mas, as opções que constatamos que temos são:
1) Deixá-lo em casa até o ano que vem e com isso ficarmos nós dois presos...:(
2) Pagar esse alto preço para colocá-lo numa garderie, que era um dinheiro que não havíamos programado gastar, ainda que saibamos ser um investimento.
3) Tentar ver se há alguma chance de colocação dele em um bairro vizinho, depois que ele completar 5 anos.

De qualquer forma, sabemos que a maior probabilidade é da 2ª opção.

Existe uma possibilidade de reembolso do governo, para o valor gasto com garderies. Pelo que nos informamos, esse valor varia de 56 a 75% e depende do valor da sua renda anual.
Entretanto, essa solicitação teria que ter sido feita até 1º de setembro.
Após isso, só é possível quando da declaração do imposto de renda, a ser feita em abril do próximo ano.

Estamos pesquisando, nos informando, correndo atrás e caso apareçam outras hipóteses, colocaremos aqui.

Aqui é legal? É sim!
Estamos gostando? Sim!
Está valendo a pena ter vindo? Muito!!
Mas, nenhum lugar do mundo é perfeito e todos nós devemos ficar cientes disso!!

Abraços a todos e à bientôt!!

Abraços

domingo, 7 de setembro de 2008

Finalmente, chez nous!!

Bonjour, mes amis!!!

Como podem ver, estou de bom humor!!
Finalmente, estamos na nossa casa. Não é nada agradável estar em um lugar provisório, ainda mais quando se decide não abrir todas as malas.
Depois de um mês, começa a bater um desânimo... Não se tem nada a mão, não se acha muita coisa, mas também não adiantava abrir todos os nossos 13 volumes, pra dentro de alguns dias ter que empacotar tudo de novo, pra levar pro apartamento.

O LOCAL

Quando começamos a procurar um lugar para morar, levamos em consideração termos uma certa praticidade.
Explico: aqui existem muitas "casas" que são divididas em 3 pavimentos (subsolo, rez de chaussez e 1er. étage). Olhando de fora, são verdadeiras casas, mas na verdade são 3 logement, como eles chamam por aqui. Em sua maioria, são lindas e adoraríamos morar em uma delas... Maaaassss, o inverno está chegando, ainda não sabemos de NADA por aqui e temos 2 moleques, que não páram um minuto sequer. Em alguns desses logements, você fica responsável por toda manutenção do mesmo, isso significa que no inverno, você que vai ter que ficar responsável por retirar toda a neve, entre outras coisas.
Outra coisa é que gostaríamos de ficar relativamente próximo de farmácias, CLSC, supermercado, paradas de ônibus, estação de metro e, se possível, perto de onde estivessem alguns conhecidos. Afinal de contas, além de de vez em quando poder matar a saudade da terrinha, num lugar onde já tivessem alguém conhecido e que estivesse gostando, porque aí eria meio que ter um "aval" de que aquele lugar é mesmo bonzinho.:-)
E também um lugar que não ficasse muito longe o centro, pois no começo acho isso muito importante.
Começamos prourando e fomos em vários lugares, inclusive perto da Estação de Metro Cadilac, onde têm alguns conhecidos nossos. Achamos algumas opções, mas nada que nos deixasse encantados.
Com nossa guia-guru-madrinha-apoio pra tudo, Djanira, acabamos indo visitar o edifício onde ela mora. Lá, vimos que tinham alguns 4 1/2 pra alugar. Gostamos do lugar. Além de ser um prédio novo (não sei o ano de construção, mas com certeza não tem 100 anos), de beton, tem uma boa acústica, o que pra nós era FUN-DA-MEN-TAL, afinal de contas temos 2 garotões, né? De "quebra", o condomínio tem 2 piscinas (uma externa, que já está com sua temporada encerrada, por causa do outono; e uma interna aquecida), um depanneur exclusivo do condomínio e uma sala de ginástica, pra o maridão voltar a malhar... Essa eu quero ver!!
Pra completar, o edifício fica numa rua calma, mas que é uma transversal da Sherbrooke Ouest, ou seja, temos TUDO pertinho: Provigo, Esposito, Super C, Pharmaprix, CSLC, vários depanneurs, 2 paradas de ônibus, onde temos umas 5 linhas, que nos levam à vários lugares e a 2 estações de metro, uma na linha laranja e outra na linha verde.
Fizemos nosso cadastro e após a análise de nosso dossier, tivemos a aprovação. Conclusão: estamos próximos à estação Vendôme.
Nossa mudança foi no dia 1º de setembro e o restante da semana passamos arrumando algumas coisas, desarrumando mala, montando os móveis que tínhamos comprado no Ikea, na 6ª feira antes da nossa mudança e que agendamos pra serem entregues no dia 02/09.
A nossa mudança foi tumultuada, porque o carro que tínhamos alugado pra ver pegar os nossos móveis não apareceu e tínhamos combinado de deixar o studio às 11:00. O maridão foi desenrolado e conseguiu arrumar uma outra van em cima da hora. Com isso, conseguimos sair tranquilos.
Mas, ao chegar no apartamento, os futuros-ex-moradores ainda não haviam nem começado a fazer a mudança deles. Só liberaram o apartamento no final da tarde, então tivemos que correr pra dar uma limpada, ao menos pra usarmos um quarto, o banheiro e a cozinha.
Nessa "brincadeira", tivemos o AJUDÃO dos nossos amigos-vizinhos Daniel e Djanira!! Se não fosse a mãozona deles, com certeza tudo seria mais complicado!!
Como diz aquele ditado "quem tem amigos não morre sozinho!!"

FINALMENTE AS AULAS!

Na 3ª feira, por mais incrível que eu achasse, chegou a carta da comissão escolar: nosso filho começaria as aulas no dia 03, na classe d'accueil.
Segundo a carta, receberíamos no dia seguinte um telefonema do condutor do transporte escolar, dizendo o local e a hora que passaria para pegá-lo, mas que estivéssemos assegurados que ele estivesse pronto às 07:00. 
No dia seguinte, acordamos cedo e antes das 07:00 ele estava pronto. Avisamos a nossa vizinha que poderiam ligar pra casa dela, afinal de contas o telefone que constava na comissão escolar ainda era o do endereço que demos na chegada, ou seja, o dela.
As horas passaram e por volta das 08:30 nada ninguém ligar. Eu já tinha ido com ele até à esquina com a Sherbrooke, pois Djanira disse que via os ônibus escolares pegando os meninos por lá... E nada...
Então, resolvemos que o levaríamos até à escola, pra saber o que tinha acontecido.
Eu fiquei com o pequeno e foram os dois.
Ao chegar lá, ele apresentou nosso filho e explicou que estávamos esperando o ônibus, que não tinha passado. 
A professora, Madame Sultana, explicou que o ônibus ainda não estava "pegando", e que para isso, teríamos que receber um cartão de identificação dele, que deveria chegar em nossa casa na 5ª feira...Huuummmm....
Bem, "há males que vêm para o bem". Por causa desse atrapalho, acabamos tendo que ir pessoalmente na escola, tanto para levá-lo como para buscá-lo. O que foi muito bom, pois vimos onde ela fica, como é sua estrutura física, ele conheceu a professora do nosso filho, o que dá uma maior segurança, tanto pra ele como pra gente.
Na 5ª feira, o cartão veio, mas foi entregue a ele na escola. E desde ontem ele está curtindo mais essa novidade: ir pra escola de ônibus/transporte escolar.
A adaptação dele está sendo boa, embora como eu costumo dizer, cheia de altos e baixos. Já diz algumas palavras e frases em francês e em inglês, disse que fez amizades, no primeiro dia ... Mas, por outro lado disse que todos falam inglês e quando viram que ele não fala, ele acabou ficando apenas com um "amiguinho"...:-(
Só espero que isso seja momentâneo e que ele consiga se integrar da melhor forma possível.

No mais, está tudo correndo bem. 
Acabamos de voltar de uma lasanhada na casa dos nossos amigos Daniel e Djanira, onde estavam também Micheline, Jamerson e Júlia, e Tiago e Clarice, que vão nos deixar na 3ª feira.:-(
Embora os meninos tenham brincado muito, ainda querem dar uma volta, apesar de friozinho...
Vamos aproveitar o finalzinho do domingo e vamos dar um passeiozinho no Parc Benny.:-)

Ahhh!! Outro detalhe que chama a atenção é que já podemos perceber as ruas e pracinhas aqui do prédio cheias de folhas secas no chão... Impressionante como mudou rápido e de repente já podemos perceber que o outuno já está por aqui!!
Então, vamos aproveitar enquanto podemos sair com menos roupas, ainda...:-)

Abraços à todos e uma ótima semana!!

À bientôt!!


sábado, 30 de agosto de 2008

Meu idioma depende do seu.

Estava aqui em plena tarde de sábado, sábado esse que começou chuvoso, mas que agora já abre um belo solzão... Tentando dar um cochilo, tentativa essa que foi frustrada, pelos telefonemas...
Quando após ter conversado com minha tia que mora nos EUA e que me perguntou qual idioma falamos aqui...
Aí, me veio a idéia de escrever esse post.

Existe uma frase que diz: "minha educação depende da sua". Em Montreal, acho que se fizéssemos uma adaptação e colocássemos "meu idioma depende do seu", cairia muito bem.
É o seguinte: quando estamos no Brasil, ouvimos muita gente dizer que o Quebec é bilíngue. Não temos muita noção de como isso funciona, só sabemos que na teoria, as pessoas daqui falam os dois idiomas. Daí, fica a curiosidade: todos falam as duas línguas? Os idiomas ficam separados por bairros, (como já falaram que Westmount é inglês)?
Nesse primeiro mês estamos alojados num studio no centre-ville (para aqueles que perguntaram qual era, aqui o site: http://www.montrealapartmentdowntown.com/), o que nos deu muita praticidade: perto de metrô, perto de algumas lojas, como Canadian Tire, Zellers, IGA, onde podemos encontrar muitos produtos iguais ao que tínhamos no Brasil, como leite condensado, farinha de mandioca, cuscuz, etc.
Talvez por estarmos bem no centro, temos visto que aqui, nas nossas idas e vindas do dia-a-dia, todos falam tanto inglês como francês, quando realmente não falam os dois idiomas na mesma frase.
Lógico que muitos vão discordar, mas como disse, é o que temos visto no nosso cotidiano. O atendente da pizzaria, uma pessoa pra quem pedimos informação no meio da rua, ou seja, não são apenas em lugares formais que vemos as pessoas falando os dois idiomas. E percebemos que o que determina qual idioma a pessoa vai responder a você é a forma que você inicia a conversação. Se você tacá-lhe um "Hi", pode ter certeza que o restante será em inglês. Por outro lado, se você iniciar com um "bonjour", a continuação será em francês.

Quando cheguei, minha cabeça deu um nó! Fiquei sem saber qual idioma falar e posso dizer que até agora estou meio "atrapalhada". Ontem ao voltarmos do Ikea, às 23:30, encontramos com umas pessoas enquanto esperávamos o ônibus na parada e no meio da conversa, saía francês, saía inglês... Uma salada só!! O meu inglês (que um dia foi avançado e estava adormecido) fica de enxerido querendo complicar tudo.

Vou tentar barrar um pouquinho isso e ver se consigo desenvolver apenas um idioma, pra depois me dedicar ao outro. Senão, vamos acabar com os 2 "meia-boca", o que não adianta de nada.

Então, "se conselho fosse bom não se dava...", mas quem estiver com planos de vir pra cá, pode se dedicar aos dois idiomas, que não estará fazendo mal negócio.

Na 2ª feira, 1º de setembro (feriado, aqui, pelo dia do trabalho) estamos nos mudando e esperamos não ficar muito tempo sem internet. Até lá, vamos ver se atualizamos mais algumas coisas por aqui.

Abraços a todos e à bientôt!!

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Filhos...

Se existe uma preocupação que supera todas as outras em relação à imigração, é o fato de imigrarmos com filhos.

Não só em relação à adaptação, pois essa costumam dizer que eles tiram "de letra", mas principalmente em como ficará a situação deles em relação às escolas.

Ainda estamos engatinhando no nosso processo pós-imigração, pois hoje completamos ainda 3 semanas que aqui chegamos. Mas, algumas coisas relativas às crianças já podemos falar.

Desde que chegaram, os meninos têm curtindo muito todas as novidades. Têm me surpreendido, pois eles trocaram a realidade deles (que era muito boa, diga-se de passagem) pela realidade de imigrantes. Isso quer dizer que ainda estamos tendo muita cautela em relação às compras, eles têm andado um bocado (e no Brasil, eles só viviam de carro pra um lado e pra outro), têm ficado num apartamento de 1 quarto (quando antes eles moravam numa casa de 1º andar, com piscina, etc) e mesmo assim eles não têm reclamado. Aliás, diria até que eles estão tendo uma paciência que eu não esperava.
Só estaremos nos mudando no começo do próximo mês e só depois disso é que eles terão um quartinho pra eles e que esperamos que as coisas comecem a se organizar.

Quanto ao idioma, eles têm demonstrado um grande interesse em aprender tanto o francês como o inglês. Já até se arriscam a dizer palavras nos dois idiomas, pra pessoas que encontramos na rua, como "excusez-moi", "sorry", "merci", "thanks"... Isso vai virar uma salada!:-)

Na última 4ª feira, fomos à comissão escolar de Montreal, já com o bail em mãos, para fazer a inscrição dos meninos nas escolas, pois as aulas começam no próximo dia 28.
Pelo telefone, já nos avisaram que demoraria umas 2 a 3 horas, pois era período de inscrição.
Chegamos lá por volta das 09:30 e pegamos o número 23.
Esperamos, esperamos, esperamos... Até que por volta das 12:30, vieram informar que a cafeteria do 6º andar estava aberta, para quem quisesse fazer uma refeição (era só pegar o cartão de acesso, ir lá e pagar).
Isso foi um alívio, principalmente pro maridão, que tinha uma entrevista à tarde e já havia procurado um lugar para comermos, antes que os meninos começassem a reclamar de fome.
Comemos e continuamos esperando.
Por volta das 15:00, fomos chamados. Levamos todos os documentos e informamos que queríamos inscrever os nossos dois filhos. A moça perguntou quais as idades. Informei que era 8 e 4 anos, respectivamente, e que o caçula completaria 5 anos em dezembro. Ela disse que inscreveria o mais velho e que iria verificar qual a faixa etária do bairro para a pré-escola.
Verificou e disse que não teria como inscrevê-lo, pois a pré-escola do bairro é a partir de 5 anos.
Comentei que em bairros vizinhos já havia visto "pre-escolaire" a partir de 4 anos... Ela disse que infelizmente não poderia ser, pois "pré-maternelle" só no mesmo bairro.
Confesso que fiquei muito triste. Esperava conseguir inscrevê-lo já na pré-escola, visto que no Brasil ele já vinha estudando, já conhece todo o alfabeto e os números e já sabe escrever algumas palavras, como o próprio nome, "mamãe", etc.
Foi uma primeira decepção pra mim, principalmente por saber que as vagas em garderies são um problema sem par aqui no Québec.

Bem, seguindo a inscrição do mais velho, ela preencheu todos os itens, fez a inscrição dele, me deu um número e disse que ele começa as aulas em 03 de setembro.
Achei bom, pois já teremos nos mudado. Mas, preciso ainda pegar informações sobre transporte escolar, horário da escola e como funciona a alimentação.
Fomos hoje dar uma sondada na escola e ele, que estava apreensivo, gostou. Logo que tem uns 3 campinhos de futebol atrás da escola e isso pra ele já contou muito.
Não me passou má impressão, que era uma das minhas preocupações.
Quando começarem as aulas, vou ver como vai ser o andamento e vou colocando aqui para, quem sabe, ajudar a esclarecer algumas para vocês dúvidas (que eu tenho) e que até agora não tive como esclarecer, como por ex, quanto tempo ele ficará na classe d'accueil, se ele ficará prejudicado em termos de aprendizado e de continuidade do ano letivo, etc.

Na realidade esse post foi meio que um desabafo.

Mas, espero que sirva de ajuda para alguém.

Abraços a todos e à bientôt!!





terça-feira, 19 de agosto de 2008

Apartamento e "La Fête des enfants"!

Antes de mais nada, queria informar a todos que nos conhecem bem que DESACELEREI!!!:)
É o seguinte: ao chegarmos no Canadá, chegamos com todo o pique, toda a velocidade normal pra quem vem começar uma nova vida e deseja organizar tudo o mais rápido possível.
Logo no primeiro final de semana, Soraia e Anninha fizeram questão de me dizer: "Desacelere!! As coisas aqui andam, mas andam devagar, então não fique angustiada e tenha calma!!"
Eu não segui o conselho das duas e continuei querendo resolver tudo "pra ontem"!
Pois bem, fui ficando contrariada cada vez que via que "não era bem assim", que "uma coisa dependia de outra, que ainda não podia ser resolvida", ou seja, entendi na prática o que elas haviam nos dito!

Daí, só restou desacelerar!! Aos poucos vamos tentando resolver as coisas, correndo atrás das informações e tentando não atropelar o ritmo que eles têm por aqui.

Nesse ritmo de resolver as coisas aos poucos, demos um grande passo que era resolver o nosso apartamento! 
Pode parecer bobagem, mas é fundamental ter um endereço fixo, ainda mais pra quem tem filhos, pois a inscrição na Comissão Escolar de Montreal depende de um "bail" assinado em nosso nome.
Bem, depois de termos nosso dossier analisado e termos "sugerido" que pagaríamos alguns meses adiantados, tivemos a resposta positiva do apartamento que gostamos, no bairro de Notre-Dame-de-Grace. Quanto ao pagamento adiantado, poderíamos ter "brigado" e denunciado a um órgão que fiscaliza discriminação contra imigrantes, já que essa prática pode ser considerada ilegal. Mas, preferimos não chegar comprando briga, sem contar que não deixa de ser uma poupança, pois estaremos pagando antecipado o que teremos que pagar de um forma ou de outra. Sem contar que também gostamos do apartamento, que por sinal, é no mesmo prédio da nossa "amiga-guia-madrinha" Djanira.:)
Nosso contrato começa em setembro e até lá, continuamos no studio, resolvendo as coisas e tentando adiantar o que for possível.
Demos também entrada nos formulários da francisação e vamos aguardar quando seremos chamados.
De posse do contrato, vamos resolver as escolas dos meninos. Lembrando que o mais velho deve entrar direto na classe d'accueil (e isso já foi um estresse por parte dele, pois nos disseram que as crianças aqui se atrasam, ficando na classe d'accueil de 1 a 2 anos). Quanto ao caçula, vamos ver como vai ser, pois algumas escolas aceitam no pré-escolar a partir de 4 e 5 anos, e ele completa 5 anos em dezembro.

No final de semana, ocorreu a "La Fête des enfants", com eventos no Parc Jean Drapeau e entrada franca em vários lugares, como Biodôme, Jardim Botânico, Insectarium, etc.
Aproveitamos e fomos passear com os meninos.
Na 6ª feira, fomos ao Parc Jean Drapeau, com Marcus, Julinha, Juba, Flavinha e Bruno.
No sábado, nós 4 fomos conhecer o Biodôme, Jardin Botânico, Parc Olímpico. Adoramos!! Belíssimas todas as atrações!! E demos um belo de um cansaço nos dois!:D
No domingo à tarde, fomos pro La Ronde, com Juba, Julinha, Marcus, Edjinha, Rafa e Carol. Estava bem lotado, mas, deu para aproveitar, apesar de algumas atrações com boas filas. Prometemos aos meninos que vamos voltar um outro dia, talvez até dia de semana (enquanto não começam as aulas deles), para que a gente possa curtir ainda mais.
Pra encerrar o final de semana, fomos comer uma ótima pizza na pizzaria que acabou sendo dos brasileiros, segundo afirmou o pessoal, a pizzaria Volkan.

Seguem algumas fotos, tanto do apê quanto do final de semana.       
       

          
   

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Finalmente, em Montreal!

Os últimos dias foram muito corridos e por este motivo não demos mais notícias.
Mas, devido ás BOAS cobranças, estamos por aqui, tentando não deixar o blog ficar tão obsoleto.:-)

Vamos tentar ser o mais objetivos possível, afinal de contas os sentimentos variam muito, ainda mais nessa fase de despedida e adaptação.
A emoção da despedida, que não é fácil, assim como a organização de todas as coisas para a partida do Brasil e chegada no Canadá, são tarefas que tomam muito tempo.

Mas, finalmente, paramos para finalmente dizer: ESTAMOS EM MONTREAL!!:)

A VIAGEM

Saímos de Recife às 12:45, num vôo da TAM e tivemos, particularmente, a ajuda da minha "guia de cego" do coração, para fazer nosso check-in.

Malas despachadas (8 volumes ao todo), graças a Deus, sem problema de excesso, pegamos os nossos outros 5 volumes e debaixo de MUITA emoção, embarcamos. Não é fácil...

Chegamos em São Paulo às 16:30 e fomos logo pra casa de câmbio, pegar os travellers que tínhamos encomendado, por indicação de amigos. Feito isso, seguimos para o balcão da Air Canada, que já tinha uma boa fila, mas só abria o check-in às 18:30.

Tudo ok, seguimos novamente para o embarque. O nosso vôo saiu pontualmente e foi tudo tranquilo. Os meninos adoraram os filminhos e apenas o caçula ficou meio arretado com a cadeira, porque não conseguia se deitar direito.:-)

Chegando em Toronto, fizemos a mesma "romaria" que outros imigrantes: passa por um balcão, o rapaz pergunta umas coisas lá; daí segue-se para outro balcão, uma moça olha e manda seguir pra uma sala ao lado; na última sala, a moça, que foi simpática, perguntou se tínhamos endereço, quanto estávamos levando e outras "cositas más".

Terminada essa parada, fomos para a esteira, retirar nossas bagagens e colocar numa outra esteira, para serem despachadas para Montreal.

Ao sairmos, encontramos com nossos amigos Elaine, Cláudio e Natália, que estavam nos esperando!!:-D












Foi ótimo matar a saudade! Tomamos um café, conversamos um pouquinho. Isso deu um novo ânimo para seguirmos para a 3ª etapa aérea: o vôo para Montreal.

A CHEGADA

Chegamos cedo, cansados, mas tudo correu bem. Das nossas 8 malas, nenhuma se extraviou e apenas uma teve "danos graves", leia-se, teve as alças quebradas.

Nossa amiga, Djanira (com Artur na barriga), já estava nos aguardando e saímos para pegar um taxi van, que coubesse todas as nossas bagagens.

Colocamos as grandes no taxi e seguimos divididos em 2 grupos, um no taxi outro com Djanira. Chegando no apartamento, confirmamos a nossa reserva, pagamos o mês e seguimos pra o nosso logement temporaire.

O lugar é bonzinho, limpo (pros padrões daqui). Ficamos num 3 1/2 e tem tudo que precisamos num primeiro momento.

Se tiver de recomendar, recomendo este studio sim.

Pra nossa surpresa, Djanira tinha providenciado uma lasanha, refrigerante e descartáveis, para nós que estávamos chegando.

Foi uma atenção sem par, pois chegar cansados e ainda ter que providenciar algo para comer (ainda mais tendo crianças), não seria nada agradável.

Comemos, descansamos um pouco e fomos dar uma volta por perto do apartamento, pra começar um "reconhecimento de área".

No dia seguinte, nossos amigos Fábio e Soraia se encarregaram de ser nossos guias: saíram conosco, nos deram algumas primeiras orientações (como comprar o passe mensal do metro, etc) e fomos ao Vieux Port, fazer programinha de turista, que ninguém é de ferro e também só poderíamos começar a resolver documentos a partir da 2ª feira.












Passamos o dia andando e conhecendo lugares, como o Parc La Fontaine, etc.

À noite, tivemos a surpresa de receber nossos amigos Anna e Luiz, que vieram de Québec. E na conversa ficamos até quase 02:00 da manhã.






No domingo, fomos com eles conhecer o Ikea. Aproveitamos para começar a ter noção dos preços do que precisaremos comprar.
Chegamos cansados e fomos tentar descansar, pois estávamos sem parar desde a viagem.

PRIMEIRA SEMANA


Na 2ª feira, tivemos a "mãozona" de nossa amiga Djanira, que foi conosco dar entrada nos documentos mais importantes, como NAS, assurance maladie e marcar um rendez-vous com o conselheiro de imigração.

Vale ressaltar que, como demos o endereço de amigos para a imigração, ela teve que ir conosco, para confirmar que estávamos na casa dela, pois pro assurance maladie, por ex, precisa dessa confirmação, com a assinatura dela.

Conseguimos resolver tudo na 2ª feira mesmo e o rendez-vous com o conselheiro Hamilton (:D) ficou pra 4ª feira.

Na 3ª feira, fomos dar uma volta por alguns bairros pra ver um lugar para alugar. Mais uma vez, nossa "mãezona" foi conosco e ainda nos levou de carro, o que facilitou e muito em rodarmos por vários lugares. Acabamos não achando muita coisa no primeiro bairro que olhamos, na estação Cadillac, mas vimos alguns interessantes em NDG.

Na 4ª feira, nosso rendez-vous com o conselheiro, onde nos foram passados vários formulários e várias informações.

De qualquer forma, precisamos realmente resolver um lugar pra alugar, pois TUDO depende do nosso endereço definitivo!!

Na saída do MICC, encontramos com Paulinha, que nos chamou para comer no "Fome Zero"!!:-D

Chegando lá, encontramos com Thiago, que vinha de uma entrevista.

O "Fome Zero" é um restaurante que fica na saída da estação Mont Royal, onde as pessoas comem a CAD 3,00, incluindo salada, sopa, um prato (que pode ser vegetariano), sobremesa e refri. Pros meninos, saiu a CAD 2,50. Legal conhecer essa opção, que além de ser barata, pode servir pra um momento em que estejamos na rua e não tenhamos feito comida em casa.

Na 5ª e na 6ª feira, ficamos resolvendo diversas coisas, como procurando mais apartamentos, providenciando algumas coisas necessárias, como comprar impressora, tentar resolver operadora de celular e adiantar algumas possibilidades de alugar alguma coisa.

Ligamos pra Comissão Escolar e pediram pra ir lá, fazer a inscrição dos meninos, mas que isso podia ser demorado. E também que teríamos que ter um endereço definitivo, pois a escola (classe d'accueil) do mais velho depende do bairro em que vamos morar.

Ou seja, questão "sine qua non": temos que alugar um apê definitivo, pra que as coisas comecem a andar!!!


No final de semana, vamos ver se damos umas voltas com os meninos e se encontramos com alguns conterrâneos, pra ajudar a matar a saudade, que já está começando a apertar!!


Alguns detalhes


- Tanto no Brasil como aqui, muito importante pesquisar!! A diferença de preço de um mercado pra outro pode ser muito grande. Inicialmente, compramos em Dépanneur, mas muitas vezes sai muito caro. Melhor mesmo procurar promoções e ver preços em mercados como o Provigo, Super C, Maxi, IGA.

- Já compramos alguns brinquedinhos pros meninos no Dollarama.:-)
- Quanto à comparação de preço, já soubemos que até mesmo para a tradução de documentos brasileiros, o preço pode variar muito. Uma amiga fez uma cotação e pegou preços que variavam de CAD 110,00 a CAD 350,00 nos mesmos documentos!!

- Termos tirado a carteira internacional de habilitação foi uma boa, pois podemos dirigir por 3 meses com a nossa brasileira, mas teríamos que traduzí-la. Com a internacional, não precisamos da tradução, basta andar com as duas. (nos disse o conselheiro de imigração).

- O clima anda maluco. Os quebecoises dizem que o verão está meio "mixuruca", pois tem chovido um bocado. Por causa dessas chuvas, o clima varia muito: determinados momentos está frio em outros podemos até sentir calor.

- Alguns produtos eletrônicos aqui são baratos, mas outros nem tanto. Fomos comprar uma impressora 3 x 1 (scaner, impressora e copiadora) e a mesma saiu por menos de CAD 50,00. Porém, o cabo da mesma (aqui vem sem cabo), na mesma loja, custaria CAD 28,00. Então, tragam o cabo ou deixem pra comprar numa das lojas que vendem mais barato.

- A pele realmente resseca muito: achei que estaria imune e estava tão atenta com os meninos, que acabei nem percebendo que a minha pele estava ressecando mais do que podia. Conclusão: hoje estou com hipoglós (é isso mesmo, eu trouxe minha hipoglós) no rosto, pra tentar minimizar as áreas que de tão ressecadas, estão parecendo queimaduras!

- Conseguimos abrir nossa conta no HSBC canadense, graças àquela história do HSBC do Brasil, etc. Fomos na agência, ver que estava tudo certo e informar a nossa chegada. Só que nossos cartões nem de débito nem de crédito ainda não chegaram. Ou seja, continuam vindo de jegue. seja no Brasl seja no Canadá!!! Por este motivo, vamos abrir conta em um outro banco canadense, estamos decidindo se o Desjardins, RBC, TD...

- Hoje soubemos de um amigo que conseguiu transferir o American Expresse dele do Brasil para o Canadá. E não era Platinum. Ou seja, aquela discussão parece que é desnecessária. Vamos tentar transferir o nosso e depois colocamos aqui como foi nossa experiência.

Na próxima semana, vamos enviar os formulários da francisação e ver qual o tempo de espera.

Várias pessoas têm nos perguntado o que estamos achando...

Achamos que ainda é muito cedo para emitirmos uma opinião mais "consistente". Ainda temos MUITO, mas muito chão mesmo para caminhar. A chegada é só o começo e muita coisa ainda precisa acontecer.

De qualquer forma, achamos que a experiência é válida e só o tempo vai poder consolidar os sentimentos, de acordo com os acontecimentos.

Bem, o posto já ficou muito longo!!!!

Vamos parando por aqui e prometemos não demorar muito para dar notícias!

E aproveitamos para colocar algumas fotos, dos nossos primeiros dias em Montreal!!

Abraços a todos e à bientôt!!

quarta-feira, 16 de julho de 2008

À 15 dias do Embarque...

Bem, estamos à 15 dias do embarque e as postagens têm se tornado mais raras... É fato!!
Infelizmente ou felizmente, estamos com muitas coisas a resolver e a arrumar e o tempo passa muito rápido.
Desde a última vez que postamos, muitas coisas já aconteceram e vamos tentar resumí-las, pra que não fique um post muito longo, mas para que também não falte nenhuma informação.

1º) Resolvemos o lugar onde vamos ficar, pelos primeiros 30 dias. É um apartamento que nos foi indicado por alguns amigos e fica bem no centro. Ao menos para a chegada, acreditamos que vá ser bem útil.

2º) Já fizemos o seguro saúde. Tìnhamos feito cotação do MIC, TravelAce e GTA. O da GTA era o mais barato. Entretanto, como nossa amiga (minha guia de cego do coração, que foi a quem compramos nossas passagens, etc... ) trabalha muito com o MIC, ela entrou em contato com eles e disse que ia fechar pra uma amiga o seguro da GTA, pois o MIC saía mais de U$ 100,00 mais caro. Conclusão, disseram à ela que podia fechar pelo mesmo valor da GTA (U$ 331,50, para nós 4 por 93 dias). 

3º) Tivemos o visto americano de turismo negado. Esse vale um post mais longo, que prometo que será o próximo. Mas, o argumento foi que mesmo com valor em conta, com imóvel no Brasil, carteira de trabalho assinada e empresa aberta,  por termos o visto canadense, estávamos em situação instável. Então, o "simpático" agente consular nos disse para voltar a tentar tirar o visto quando já estivéssemos em solo canadense, com uma situação mais estável. Acho que nem precisamos dizer o quanto ficamos p... da vida. Só numa cabeça de bagre americana alguém iria querer trocar sua situação legal num país como o Canadá, por uma ilegal num país como os EUA...

4º) Estamos em plena arrumação das malas e é um problema sério selecionar o que levar e o que não levar. De qualquer forma, é uma coisa que se vai amadurecendo à medida que se coloca na mala. Já colocamos e tiramos alguma coisa... Só esperamos estar com tudo certo nos próximos 10 dias. O problema é a bagagem de mão da TAM (no vôo Recife-SP), não exceder o peso e estar nas medidas especificadas pelas Air Canada. Pra isso, agora contamos com nosso spacebag, que eu espero que ajude a dar uma diminuída legal no volume. :-D

5º) Fizemos uma bela limpeza em nossas coisas e conseguimos separar uma boa quantidade, que doamos à uma igreja de nossa cidade. Foi legal ver que o que pode não mais nos servir, vai fazer alegria de algumas pessoas mais carentes.

6º) Meus pais voltaram hoje de viagem e agora temos os últimos 15 dias para ajeitar as coisas que faltam: procuração, etc.

7º) Fizemos nossa despedida no final de semana passado. Despedida, não; confraternização, pois não é um adeus!! Foi muito legal compartilhar com os amigos, que em breve estarão no mínimo nos visitando...:-)

8º) Esse final de semana será a despedida com a família em Campina Grande. Espero que não seja tão "dolorosa" como têm sido nos despedirmos de algumas pessoas... E não é pieguice, é que certas "coisas", nós iremos realmente sentir falta, não há como evitar!! Iremos aprender a lidar com isso, mas que vão fazer falta, isso vão!!!

Iremos aos poucos postando o que for surgindo de providência pré-viagem. Ainda que sejam em post esporádicos, prometemos não sumir.

No próximo, vamos colocar as fotos da confraternização, das bagagens, etc...:-)

Abraços à todos e à bientôt!!

PS: Em tempo, queremos AGRADECER ENORMEMENTE a todas as pessoas que têm nos ajudado, seja com dicas, seja com palavras de apoio, seja com oferecimentos dos vários tipos. 
Sinceramente, numa "empreitada" desse porte, sentirmos que não estamos sozinhos é uma ajuda até mesmo psicológica.
Já vimos algumas situações em que se comenta que o pessoal que já imigrou, acaba não querendo ajudar os conterrâneos que estão na mesma situação.
Não gosto de sentir que estamos incomodando, mas o que tem acontecido é que várias pessoas, mesmo sem a gente pedir, vem se oferecendo para nos ajudar.
Isso mostra que ainda existem pessoas que provam que o ser humano vale à pena!!!

Merci beaucoup!!!!

Bisous!!!


segunda-feira, 16 de junho de 2008

Passagens compradas, a "ficha começa a cair"...

Prometo que vou tentar não se prolixa, até porque temos muitas coisas pra colocar em um só post!!

Sabemos que estamos sumidos, mas o motivo é bem claro: estamos na contagem regressiva para nossa viagem.

Agora sim, podemos dizer que já está certo, pois demos mais um passo à frente, para concretizar o nosso plano de mudança.
Depois de muitas mudanças em relação à data e à cidade de destino e muitas pesquisas com relação a preços, finalmente compramos as nossas passagens pela Air Canada. Estaremos chegando, se Deus quiser, no dia 01/08/2008 ao nosso destino final: a cidade Montreal. Ao menos inicialmente...

Bem, tendo isso definido, começamos a correr para conseguir "dar conta" de todas as coisas que temos que resolver: 

1) Já providenciamos as "transferências" das escolas dos meninos; 

2) Conseguimos comprar nossos primeiros dólares canadenses, que por estarem em falta nesta cidade, provavelmente serão comprados "a conta-gotas".

3) Graças aos conselhos de Rapha e Carol e da ajuda de Fábio e Soraia (MUITO OBRIGADA PESSOAL!), conseguimos chegar a conclusão que é melhor deixar para traduzir tudo por lá. Aqui a tradução por tradutor juramentado, seja pro inglês ou pro francês, sai a R$ 70,00 a lauda, com até 25 linhas no documento traduzido.  Em Montreal, a tradução pode sair de CAD $ 15,00 a CAD$ 45,00. Como o dólar tem baixado de preço; corre-se o risco da tradução não ser aceita (teríamos que validá-la) e considerando que teríamos que carregar mais peso na viagem, o que será que decidimos? :-)

A lista ainda está enorme. Esse final de semana de São João, como não iremos viajar, vamos aproveitar para começar a arrumar a bagagem e começar a jogar fora o que não levaremos nem vale a pena deixar... Já andei dando uma analisada e, sinceramente, não será uma tarefa fácil.

Estamos à procura de um apartamento para ficarmos na chegada. Já andamos olhando alguns e estamos apenas verificar melhor localização e se realmente são bonzinhos, para fecharmos alguma coisa (temos que ter maiores cuidados porque vamos com 2 crianças).

Ahhh!! Lembram daquela história do Sedex 10... jegues??
POis bem, fizemos a reclamação e essa semana fomos chamados para receber a indenização de R$ 99,00, devido ao atraso na entrega do objeto... :-)
Huuuummmm. Muito chique, hein? A reclamação funcionou!! Quem tiver passado pelo mesmo problema, reclame também!!

E, por fim, começaram as despedidas!!
Semana passada fomos à Campina Grande e aproveitamos para curtir um pouquinho a época dos festejos juninos por lá.
Essa semana foi a vez de nos despedirmos das escolas... Foi impossível conter as lágrimas!! Ver os amiguinhos dos meninos pedindo para trocar e-mail, para mantermos contato, deixarmos aqueles ambientes e as pessoas às quais estamos acostumados, não é uma tarefa fácil.

Mas, faz parte! Já devia saber que ia ser assim... 


"Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças."

Então, que assim seja!!

Vamos tentar não ficar muito tempo sem postar, mas nos perdoem por isso, é falta de tempo mesmo!!

Abraços à todos, à bientôt e Bom São João!!






segunda-feira, 9 de junho de 2008

Processo concluído... Que nada!! Agora é que começa!!

Essa segunda-feira foi cheia de novidades!


Hoje completava 15 dias que tínhamos enviado os nossos passaportes e continuávamos aguardando o retorno dos mesmos.


Enquanto isso, começamos a providenciar as coisas que TEMOS que resolver antes de embarcar. E como somos 4, temos filhos pequenos, não são poucas as coisas.

Colocaremos a lista no final deste post...:-)


Pela manhã, já começamos recebendo as malas que tínhamos comprado pela internet(http://www.americanas.com/), já que, apesar do frete, o preço compensava, em relação às que vimos por aqui.


À tarde, a grata notícia: CHEGARAM OS NOSSOS VISTOS!!


Num envelopão, postado com AR, vieram os formulários de confirmação de residente permanente, dois papéis para que o pediatra faça a transcrição das vacinas dos meninos e uma carta com várias informações, que devemos estudar diretamente do site.
Nada de livrinho, nem folhetinho que nossos amigos receberam na época deles, fazer o quê, né?
Bem, agora que essa etapa foi concluída, podemos dizer que o processo de imigração está apenas começando.
Temos diversas providências a tomar e, como nossa reserva está para o final de julho, devemos correr.
Uma das coisas que estava nos agoniando era resolver as malas. Somos 4, desta forma, podemos levar até 8 bagagens G (com até 32 kg e 158 cm de altura+largura+comprimento) e mais as bagagens de mãos, podendo ter até 10 kg. Sendo assim, somamos até 12 bagagens possíveis.
Conseguimos comprar as primeiras malas por R$ 150,00 cada, numa viagem que fizemos à Campina Grande. Foram 2 Sansonites. Ótimas!!!
Na semana passada, fomos ver mais 2 malas G. Compramos desta vez por R$ 170,00, cada.
Seguindo conselhor de amigos, não estamos pegando malas BOAS, porque a decepção de poder vê-las estagadas será menor.
E pensando numa melhor maneira de guardá-las, pegamos vários tamanhos, desta forma, as menores podem ser guardadas dentro das maiores.
Estamos com algumas caixas tb, pra não termos que comprar mais malas. Mas, por não serem práticas de carregar, só as utilizaremos se realmente for necessário. Vou tirar uma foto da nossa bagagem e posto aqui.
Quanto à lista das providências, ela aumenta todo dia. Dentre os itens que já estamos resolvendo estão:
1) Tradução de alguns documentos. O colégio de mais velho nos indicou 2 tradutores juramentados, que nos informaram que o preço é tabelado e custa R$ 70,00 a cada 25 linhas do documento após tradução. Nada baratinho, mas já informaram que é melhor traduzir aqui e apenas validar a tradução pela Ordem dos Tradutores de Québec. Então, vamos traduzir certidão de nascimento dos meninos, nossa certidão de casamento, nossos diplomas e históricos da faculdade (quem sabe até as das especializações), transferência dos meninos e histórico escolares deles.
2) Providenciar Carteira de Habilitação Internacional.
3) Tirar fotos 5x7 com data pra levar.
4) Providenciar visto americano
5) Atualizar carteira de vacinação dos meninos. ANvisa
6) Fazer seguro saúde
7) Comprar dólares canadenses
8) Resolver apartamento pro primeiro mês.
9) Cancelar contratos de telefones, Velox, etc...
10) Providenciar procuração pública para deixar para nossos pais resolverem qualquer coisa que surja.
.
.
.
.
.
Na verdade, a lista só aumenta a cada dia.
Mas, estou tentando ser bem organizada e dar conta de tudo a tempo!!
Bem, estas são as últimas notícias e assim que as coisas forem se definindo, vamos postando aqui.
Abraços a todos e à bientôt!!